HOSPITAL DE ALTA COMPLEXIDADE
"PTE. JUAN DOMINGO PERÓN"
O Hospital de Alta Complexidade “Pte. Juan Domingo Perón” anseia ser uma instituição de transcendência regional, nacional e internacional, no campo assistencial, docente e de investigação. Contamos com uma tecnologia inteligente dirigida por um grupo de experimentados profissionais que melhora a qualidade de diagnóstico, reduz riscos de erro, maximiza os efeitos curativos, diminui os custos e otimiza o uso dos recursos.

Levará-se a cabo no HAC a primeira neurocirurgia funcional da Epilepsia

Compartir

A Epilepsia é uma doença que, na maioria dos casos, pode-se controlar com uma medicação adequada sem que se produzam alterações graves nas pessoas que a padecem , porém  existe uma porcentagem dos pacientes cuja epilepsia é incontrolável. 

A cirurgia da epilepsia se realiza somente em pacientes portadores de epilepsias refratária, também chamadas fármacos resistentes.

O tratamento cirúrgico tem por objetivo eliminar as crises epilépticas ou bem diminuir a frequência ou intensidade das crises. É muito importante esclarecer que além do controle das crises, no sucesso de uma cirurgia se deve considerar o impacto que este controle provoca na qualidade de vida do paciente e de sua família.

Esta intervenção se realizou através de uma equipe multidisciplinar que abrange  várias áreas do hospital como ser neurocirurgiões, neurologistas, instrumentistas, enfermeiros, anestesiologistas, e técnicos em eletroneurofisiologia. E contamos com o recurso tecnológico apropriado para estes casos, o que não deixa de ser parte de uma política sanitária que continua crescendo desde o Governo da Província através do Ministério de Desenvolvimento Humano. 

O Neurocirurgião  do  HAC Dr. Contreras Fernando, quem também se desempenha no Hospital Garraham, Fundação  Favaloro  e  O Sanatório Fleni, nos comentava ao respeito : " Existem poucos centros na Argentina que têm a capacidade para estudar os pacientes como os estudamos aqui e poder fazer este tipo de cirurgias, nós seriamos o quinto hospital público que estamos desenvolvendo estes procedimentos".

"O que procuramos é que se eliminem ou diminuam em forma considerável as convulsões, o objetivo primeiro é que se eliminem, como objetivo secundário que diminuam muito e o objetivo principal é melhorar sua qualidade de vida".

Cabe esclarecer que este tipo de procedimentos complexos, brindam aos pacientes a possibilidade de ser estudados e tratados no mesmo hospital, o que ajudam a que não tenham o desarraigo de ir embora para outro sitio, contudo o que isso significa, seja na desorganização do grupo familiar ou na falta de continuidade com os médicos que o tratam , porque o paciente é conhecido por toda uma equipe de profissionais no HAC que em qualquer momento o pode atender perante qualquer consulta sobre sua doença de base ou sua qualidade de vida.

Por outro lado o Responsável do Departamento de Neurociências Dr. Javier Gardella comentou: O pessoal é perfeitamente solvente para acompanhar este tipo de cirurgias, todo o serviço tem o treino apropriado e adequado para que cada um desde seu lugar de trabalho , contribua para que o paciente poda ser tratado da melhor maneira. Isso é um valor agregado muito importante e o resultado de contar com o recurso humano qualificado".


 

COMO CHEGAR?