Destacam os procedimentos cardiovasculares realizados durante a pandemia

18-01-2021
Compartir

Neste tempo transcorrido, o Hospital de Alta Complexidade “Pte. Juan Domingo Perón” dentro da sua oferta prestacional continua realizando diferentes procedimentos complexos. Neste sentido o Serviço de Cirurgia Cardiovascular levou a cabo mais de 500 procedimentos cardiovasculares de distintas complexidades, adquirindo especial relevância as últimas duas cirurgias cardíacas, já que foram realizadas nos pacientes octogenários, considerados população de risco quanto a Covid-19 se refere.

É de destacar que desde o início da pandemia o total dos procedimentos é levado a cabo por profissionais locais, conseguindo assim o hospital dar rápida resposta à crescente demanda da saúde formosenha e com ótimos resultados.

Com relação às cirurgias o Responsável do Serviço de Cirurgia Cardiovascular, Dr. Nicolás Sebastián, detalhou: “Foram intervenções realizadas nos pacientes de 80 e 81 anos de idade, portadores de doenças sobre as válvulas cardíacas e obstruções sobre as artérias coronárias, o qual corria risco a vida dos pacientes. Durante a cirurgia tem que se abordar o tórax do paciente, chegar assim até o coração, conectá-lo a uma máquina que faz as funções de coração e pulmão durante a cirurgia, deter totalmente a atividade cardíaca, abrir o coração, reparar a patologia em questão, encher novamente do sangue e fazer bater de novo como se fosse que nunca foi abordado. Por sorte a evolução de ambos pacientes é favorável, a tal ponto que já se encontram sentados na borda do leito e iniciando sua alimentação”. 

São cirurgias complexas em si mesmas, mas no tempo de pandemias tornam-se mais demandantes em todos os processos. Todo se realiza sob estritos protocolos sanitários ditados pelas autoridades do HAC, protegendo não só a saúde das pacientes senão também de todos os profissionais dos diferentes serviços de Hemodinâmica, Unidade Coronária e Cardiologia com quem levamos adiante as etapas de pré e pós-cirúrgicas destes pacientes”.

Conjuntamente também se realizaram implante endovasculares de dispositivos destinados a manter o ritmo cardíaco. “Foram colocados marca-passos e  cardioresincronizadores  cardíacos nos pacientes que padeciam arritmia e bloqueios no que se refere à frequência cardíaca. São procedimentos que se realizam totalmente por via endovascular,   de grande complexidade e não disponível de ser levado a cabo em todos os centros do país. Foi realizado de maneira conjunta entre os serviços de eletrofisiológica e cirurgia cardiovascular. Afortunadamente com boa evolução e alta às 24 hs. “ Detalhou o Dr. Freis, responsável da área de eletrofisiológica do hospital.

Os profissionais destacaram o apoio das autoridades do HAC para a realização destes procedimentos e salientaram a disponibilidade e qualidade dos insumos e equipamentos disponíveis na instituição, os quais são possíveis graças à política sanitária provincial que garante a saúde da população nos seus diferentes níveis de atendimento e neste contexto, protegendo a vida tanto dos pacientes como dos trabalhadores da saúde.